21 de abr de 2008

O Cheiro do Ralo (Heitor Dhalia - 2007)


E não é que aquela bunda, de fato, era bonitinha, lisinha, redondinha, durinha. Enfim, perfeita!!! Nenhum homem assiste a esse filme sem refletir a partir de parâmetros bundológicos sobre a razão de sua existência neste planeta. Não que uma bunda seja tudo na vida. Mas, uma bunda dessas, realmente, parece ser algo preciosamente importante para quem a perseguiu todas as manhãs sob o pretexto de fazer o desjejum (inclusive, tendo de comer porcarias que não lhe apeteciam). O que dizer do inclinar-se, aparentemente ingênuo (mas, suficientemente eficaz), da garçonete para pegar um “refri”?

Nossa... às vezes tenho vontade de rever o filme só para dar mais uma sacadinha naquela bunda. E que bunda!!!

Enzo Zanchetta.

Nenhum comentário: